sexta-feira, 8 de setembro de 2006

Derrotas que doem

Não sei como foi o 7 de Setembro de vocês, amados leitores. Não sei se assistiram à parada militar, se foram para o famoso Grito dos Excluídos. Eu, no meu caso particular, estive envolvido com o famoso Torneio de 7 de Setembro dos Caducos Futebol Clube, aqui do Poço da Panela.

Walter conseguiu duas taças e fez a doação de um garrafão de água mineral, que bebemos bem. Hércules topou ser juiz por R$ 30,00. Este ano, por falta de organização, não tivemos medalhas.

De sorte que no dia 7 de Setembro, às 7h45, este que vos fala estava no campo de Seu Abdias, marcando a grande área, o meio campo e o local do pênalty. Camorim marcava com a cal, eu só acompanhava, diga-se de passagem, segurando a corda. A cal quem comprou foi Batman, nosso lateral direito. A marca do pênalty foi motivo de controvérsias, porque contaram sete passos, e eram nove, fato muito bem reparado por Hércules, o juiz. Por sinal, criei um apelido originalíssimo para nosso árbitro: "Hércules, um juiz forte".

Às 8h52 tivemos o sorteio dos times. Fiquei no time Real do Poço 2, indicando que estou no segundo escrete. Pelada da Cachaça pegou, no primeiro jogo, o escrete do Cansadinho, e meteu dois a zero fácil, ainda no primeiro tempo. Pode parecer redundante, mas Cansadinho estava mesmo sem fôlego nenhum. No segundo jogo, o Real do Poço 1 ganhou do time de Santana por W X O. Para quem não entende patavinas de futebol, WO é quando o time adversário não entra em campo.

Nosso time, o quadro B do Poço, Real do Poço 2, enfrentou o esquadrão da Pelada dos Amigos. Amigos, pensem num time arrumado, que tocava a bola bem e tinha fôlego! Todos de Casa Amarela, por sinal. Começamos o jogo com Bode (no gol), Lando (lateral esquerda, avançando), Samarone (zagueiro central), Batman (lateral direita, avançando), Zé Carlos (meia) e Ciço Boi (sem posição compreensível). O grande drama do nosso escrete foi justamente Ciço Boi, ou Fera, para os mais íntimos. O infeliz não acertou uma jogada e prejudicou muito nosso raçudo time.

Seguramos um 0 x 0 dramático até o final do jogo. Fiz minha parte bem, marcando colado um magro do time adversário que corria feito um louco. Dei duas entradas mais intensas, mas só fui advertido por Hércules. Foi, modestamente, minha melhor partida do ano.

Ganhamos nos pênaltis: 3 x0 2 e avançamos para a semifinal.

No jogo seguinte, pegamos o time do Resto do Mundo. Foi uma partida dramática, dura, nosso time com limitações na saída de bola, eu mandando para o mato qualquer possibilidade de gol adversário. Levei uma entrada na canela que não foi fácil e está aqui, ardendo. Zé Carlos deu a única vacilada do jogo, num escanteio, e Cascata fez o gol de cabeça. Perdemos de 1 x 0 numa partida dramática. Até o último minuto, tivemos chance do empate. Mas vamos e convenhamos: ganhar do Resto do Mundo não é tarefa assim tão fácil.

Na final, o time principal do Poço1 ganhou do Resto do Mundo por 2 x0. Então, houve a cerimônia da entrega das taças e bebemos um bocado.

Depois de várias cervejas, passei em Seu Vital, olhei o dominó, mas estava chateado com o gol de Cascata. Só pensava no vacilo de Zé Carlos, que deixou o adversário sozinho. Fui descansar, meio abatido, desencontrado da vida. Não fosse aquele gol, teríamos chegado aos pênaltis, e a participação na final era certa.

Fui dormir, querendo esquecer de tudo. E eu tinha dito ao Zé Carlos que colaria com Cascata na hora do escanteio. Ele respondeu:

"Deixa comigo".

Então marquei Elias, e deu no que deu.

Vai a confissão: ficar de fora da final da pelada dos Caducos, em pleno 7 de Setembro, dói um bocado.

Vou aqui, tentando me recuperar.

Para Gerrá e Alessandra, que casam neste sábado, em Bezerros.

7 comentários:

Anônimo disse...

Fique triste não SAMARONE. Você fez o que podia. Quem sabe no próximo 07 de Setembro, seu time ganha.
Te mando um beijinho para servir de consolo.

Gustavo disse...

Grande leitor de Nelson Rodriguez, vc sabe como ninguém contar a história de um jogo...

mas o que tu conta mesmo é da
pelada da vida.

Fique com deus.

G.

Anônimo disse...

você parace que foi criada com vó, fraco que só caldo de batata

fabiana disse...

prezado Samarone,
viu seu blog no de Maíra, colega na TV Câmara. Fiquei lendo horas a fio, mesmo assim, meio ceguinha de tela de computador!
Essa coisa de futebol é meio chata, mas sei lá, fui indo fui indo fui indo...eita!
Adorei tudo!
Beijos
Fabiana (de Brasília)

samarone disse...

estimado leitor ou leitora: fui criado com avó sim, até quase um ano de idade. Depois fui devolvido à sede original, e o negócio mudou.
Informo que na pelada do domingo me recuperei, com três vitórias consecutivas. Nada como um jogo após o outro.
samarone.

Adri disse...

kkkk... só tu, Poeta, kkkk...

'Es raro que uno tenga tiempo de verse triste:
siempre suena una orden, un teléfono, un timbre,
y claro, está prohibido llorar sobre los libros
porque no queda bien que la tinta se corra'.

Grande beijo.

Marcela disse...

.

Samarone! Tava eu mais que sumida, mas tô em dia com as leituras viu?
Hoje fez bem pra alma ler isso aí, sorri um bocado, pra variar.

Sinto pela entrada na canela, mas confesso, foi das partes mais engraçadas do post =)

Fica com Deus esse menino!!

Beijo!

,