quinta-feira, 4 de outubro de 2007

No Sertão, de novo

De Ouricuri, Sertão de Pernambuco.

De novo, estou no Sertão. É viajando que me renovo, que crio outras raízes. Na falta de tempo para escrever, coloco um pedacinho do Rilke, no maravilhoso "Cartas do poeta sobre a vida", que o Gustavo me soprou, desde Brasília.

Hoje à noite tem postagem nova, as postagens de viagem. Por enquanto, vamos com o poeta.

**

"É necessário viver a vida ao limite, não segundo os dias, mas segundo a profundidade. Não é preciso fazer o que vem depois, se alguém sente que tem mais participação no que vem ainda depois, no longínquo, na mais remota distância. Pode-se sonhar enquanto os outros salvam, se esses sonhos são mais reais para alguém do que a realidade e mais necessários do que o pão. Numa palavra: é preciso tornar a mais extrema possibilidade que alguém traz em si o critério de sua vida, pois nossa vida é grande e acomoda tanto futuro quanto somos capazes de carregar".

**

"Vivemos tão mal porque sempre chegamos despreparados ao presente, incapazes e dispersos em tudo".

**

"A vida anda: passa por muitos ao longe e faz um desvio em torno dos que a esperam".

**

Vou aqui, olhar os sertanejos, lembrando que hoje é o dia do meu querido São Francisco.

Um comentário:

Els Amorim disse...

Oxe, não tinha comentário então resolvi deixar um abraço.

Els Amorim