segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

O sonho de Cuba

Desde que me entendo por gente, quero conhecer Cuba, passar uns dias batendo pernas, andando sem rumo, procurando nada, a não ser pessoas e cenários. O mais próximo que cheguei da ilha foi uma noite de muito frio, em São Paulo, que cheguei com um litro de rum barato, e Gustavo adentrou com o CD novinho do Buena Vista Social Club. Escutamos aquela maravilha extasiados, bebendo goladas infernais, tragando um charuto formidável, e fomos dormir chumbados. Até hoje não sabemos qual dos dois ficou mais mamado.

Desde esta época, tenho juntado dinheiro com o objetivo intenso de passar uns dias em Havana. Quero tomar uns runs e fumar uns charutos, anotando minhas besteiras de sempre.

Uma vez, fui apresentar um trabalho num congresso em Miami, numa dessas sortes da vida, com passagem e hospedagem tudo pago, e estava a maior confusão por causa do pequeno Elian, um garoto que sobreviveu em uma balsa, e virou celebridade. De Miami para Cuba era um pulinho, mas eu não tinha muita grana, não era tão simples assim, acho que perdi mesmo foi uma boa chance de viajar por um precinho bom. São esses vacilos da vida. O menino, depois de uma batalha judicial, voltou para Havana.

Há uns três anos, cheguei muito perto de viajar. Juntei a grana, estava tudo nos conformes, mas me caiu no colo um bar quase falido, para tomar de conta, uma dessas coisas de família e de dinheiro que nunca entendi bem. O dinheiro de Cuba foi para imobiliária, funcionários, Ambev e milhares de outros cobradores, que me localizavam com uma facilidade incrrível. Fui ser dono de bar pela segunda vez na vida. Desde essa época, nunca mais passei para o outro lado do balcão, nem para pegar um abridor de garrafas, para não dar azar. Quando escuto um amigo dizer que quer ser dono de bar, mando rezar uma missa e passo dois dias dando conselhos.

Me recuperei bem, consegui vender o bar, passei a reduzir os gastos com coisas supérfluas, como sapatos, roupas, imóveis, carros, jóias, iates e noitadas, e de repente descobri que poderia sonhar novamente com a viagem. Entonces, no meio das muitas mudanças que faço na vida, o passaporte sumiu, junto com vários outros documentos.

Cheguei à situação cômica de ter dinheiro para a passagem e estadia, mas faltava o passaporte. Me avisaram para tirar outra via, mas seria a terceira, e todos os documentos necessários para a terceira via, estavam no envelope com o passaporte. É, eu admito que sou meio complicadinho mesmo, mas todo mundo tem seus defeitos. Tenho uma questão mal resolvida com documentos em geral.

Esse inferno terminou outro dia, quando fui separar livros para doar. No meio das dezenas de caixas, eu não sei nem para que tanto livro, estava lá, belíssimo e novinho em folha, o meu passaporte, verde como a floresta amazônica. Olhei-o com o carinho necessário, comemorei como se fosse um gol e senti o cheiro de Havana.

Comecei os contatos com os ex-guerrilheiros que já entrevistei, e que são meus amigos. Quero saber os caminhos de Cuba. O Zarattini, pra variar, só vai me dar as dicas na véspera da viagem, possivelmente em Código Morse, dentro de uma pasta de dentes, que nunca conseguirei decifrar.

Não sei ainda como funciona esse negócio de Lan House por lá, mas o fato é que pretendo mandar umas boas notas sobre a vida na ilha, compartilhando as descobertas com meus cativos leitores.

Iramarai ciscou, dizendo que iria, mas negou fogo, só por causa do preço da passagem. Gustavo também declinou, por questões familiares.

Mal comprei a passagem, começaram os pedidos – uma boina do Che Guevara para o Inácio, uma caixa de charutos para um amigo. Sei que alguém pediu um litro de rum, mas não lembro bem. Outro me pediu uma bandeira de Cuba, mas acho que dá para comprar pela Internet. Tudo bem, eu compro, não tem nada a ver o camarada comprar a bandeira de Cuba pela Internet, quando tem um amigo viajando pra lá nos próximos dias.

É, mas pelo que sei, tudo isso é pago, e a turma nem se liga.

Começaram também as dicas sobre o que levar. Não sabia eu que uma caixa de Bic faz o maior sucesso. Vou levar umas duzentas, então.

Não contem comigo, pois, para as inúmeras confraternizações, ceias de Natal, amigos os mais secretos e a atividade sócio-psicológica-frenética do Reveillon, que não curto há um bom tempo.

Pela arte do destino, estarei em Cuba, retornando somente ano que vem. Aceito de bom grado dicas de quem andou por lá, em tempos recentes ou remotos.

Prometo voltar.

21 comentários:

Claudiana disse...

Olá! Adorei o Blog... estamos na mesma situação,mas em sentidos contrários. Finalmente vou conhecer Pernanbuco, assim como vc, quero: " passar uns dias batendo pernas, andando sem rumo,procurando nada,a não ser pessoas e cenários". Adoraria indicações! Boa Viagem!

Yvette Teixeira disse...

Um Gelman para te acompanhar na viagem. beijos.
Yvette Teixeira

da rosa que amo/como cuidarei?/
não lhe faço mal?/
não a estrago?/
não lhe corto os pés?/
e este acabar?/este estar
como não estar?/e como ir-se
de ti/rosa?/
ajuntar a dor ao já sido?/
não entristecer-te a bondade/
que no mais dos dias se queima?/
e nada?/e tudo?/e mesmo nunca?/
e que não chores?/

K2 disse...

Acho que o Rum é meu... se não foi então fica sendo agora.

Anizio Carlos da Silva disse...

Samarone, leva também uns sabonetes, parece que faz o maior sucesso por lá também!

Ah, recentemente nosso vice-prefeito Luciano Siqueira esteve por lá e disse que a internet é caríssima, entre otras cositas... dá uma olhada:

http://lucianosiqueira.blogspot.com/2007/09/internet-em-cuba.html
http://lucianosiqueira.blogspot.com/2007/10/cena-de-cuba.html
http://lucianosiqueira.blogspot.com/2007/10/nosso-artigo-de-toda-quarta-feira-no.html

Ju Torres disse...

Sama, que espectáculo!!! (com c e tudo mais!)
Faz boa viagem.
E um conselho a mais: primeiro compra os teus presentes todos. Depois, o da Galera!
Meio egoísta, mas é que eu sei o que é levar umas 10 garrafas de vinho portugues na mala!! ahaahah
beijos
ju

Anônimo disse...

ah, promete voltar???????
tá, então tá.
adorei o gelman deixado de bom grado por yvette...
besos
justine (rosa)

Anônimo disse...

Oi Samovska,
Que bala, hein?
Estou lembrada que te devo uma carta "hecha en mano", mas como você é um ser que não guarda rancores, espero uma cartita sua de lá, está bem?
Beijos, beijos.
Nata.

Marcela disse...

Oi Samarone, estive recentemente em Cuba (maio/junho 2007). Fui passar a lua-de-mel. Se vc puder, leve sabonete, doce (caramelo) e canetas. Eles pedem muiiiito! Se perceberem que você é turista, vão te pedir essas coisas na certa! As lembrancinhas normalmente são caras (boné, chaveiro)... aviso logo! Hehehehhe. Boina de Che e boné de Fidel custam uns 5 dólares, no mínimo (a boina é mais cara). A dica é se hospedar na casa dos cubanos. É muito mais barato e normalmente se come melhor. Comer em 'paladares' é muito mais vantagem! Se vc for a Trinidad, cidade declarada patrimônio da humanidade pela unesco, pode se hospedar na casa de Manolito. Conversas rolaram horas... Ele é o máximo e a comida é maravilhosa! Foi a melhor parte de Cuba! As noites de Trinidad são sempre 'quentes' em uma escadaria super famosa. Todas as noites tem bandinhas locais e os cubanos dançando perfeitamente (e como dançam)! Se quiser viajar para outras cidades, pode pegar o "via azul". São ônibus que saem sempre com hora marcada e com precinho bom! Fui a Cienfuegos, Santa Clara e Trinidad. Além de Havana, é claro! Ir conhecendo cubanos é a melhor opção, sem dúvida. Coloquei algumas fotos em www.flickr.com/photos/marcelacox. Se quiser entrar em contato, meu email é marcelaupe@hotmail.com. Você vai amar Cuba. Eu amei!

Aproveite!

Obs.: não deixa de ir a Santa Clara e ao "Memorial Comandante Ernesto Che Guevara" Vc vai se arrepiar ao entrar no mausoléo de Che. Outra coisa, lan house é cara (30 min em Trinidad foram 3 dólares)! Quase não tem computador, muito menos internet. Vc acha, mas é caro. As melhores partes são as conversas com os cubanos em museus (mas pode se preparar que eles vão pedir alguma coisa no final, um caramelo, um boligrafo, 1 peso).

Ana disse...

Sama, ia te falar de uma amiga que foi a Cuba e quando li teus recados, ela já tá aqui, acima de mim dando as maiores dicas.
A minha dica, que nunca fui à Cuba, é só que você aproveite bem muito e descanse.
Um beijo bem grandão!

Márcia disse...

Eba, vai ter muita novidade no ar, em breve...

Anônimo disse...

E será que vai voltar...

Anônimo disse...

Sama, vais para a terra do bom velhinho? Tb quero rum e charutos.
Ab do mano PH

Gênero Cinematográfico disse...

vou filar as dicas porque também quero ir!
beijos

diana disse...

que maaassa, samarone!
aproveita.
cheiro.

Segura a Coisa disse...

Sama, traz uma caixa de charutos...
Pra fumar no carnaval...

Diadorim disse...

Boa viagem e ótimas experiências!!

CAPILÉ disse...

Boa viagem camarada!!!!!

Anônimo disse...

Samaaaaaaaaa me leva contigooo????? Por favor kkkkkkkkkk. Mas se a resposta for não pelo menos, trás uma camisa OFICIAL DA SELEÇÃO DE CUBA, seleção de futebol visse. Meu tamanho é M tâ. kkkkkkkkkkkkkkkk. BJssssss visse e volta ñ vira che Guevara ñ kkkkkkkkkkk. Até a volta.
Trás a camisa visse.

Anônimo disse...

Foi eu Smarone Danúbia que pedio a camisa visse, folta assinar. Mas trás mesmo kkkkk, é sério pow kkkkkk. BBjsssss

Els Amorim disse...

Sama, tu vais viajar antes de se declarar meu anjo é?? É tu né, meu anjo??...
Pra quem não está entendendo nada, eu vou explicar... É que na Secretaria de Saúde nós fizemos a brincadeira do "anjo secreto" ao invés do velho "amigo secreto". E acho que foi ele que me tirou, kkkkk.
Um beijo e boa viagem, volte viu... venha "simbora" logo!!!
Nós estamos lhe aguardando para continuar nossas atividades.

Um grande beijo, Els

James Russo disse...

Sama, minha sugestão é que vc reuna material suficiente para escrever um livro depois somente sobre essa viagem! cuba tem muito oq mostrar, rapaz! valeu