sexta-feira, 13 de julho de 2007

Postagem 300

Fui olhar agora no "blogger", que é o editor deste meu blog, e tive um susto, mas um susto bom. Esta é a postagem de número 300!

Estava pensando em escrever um texto relembrando meus professores queridos, mas achei o número de postagens tão exagerado, que senti imediatamente uma preguiça fundamental, "estruturante", como bem diz minha amiga Ana Luíza.

Me ocorreu mais agradecer pela imensa troca com os leitores. Faço deste espaço um lugar muito sagrado, onde posso contar sobre as coisas que vejo, vivo e sinto. Em alguns momentos consigo chegar perto do que quero dizer, em outros, fica apenas a intenção. Muita gente que lê eu jamais vi, não sei nem de onde estão acessando, e acho um mistério bom receber um email da minha amiga Haidée, que está no Chile, informando que recebeu um texto sobre a agressão policial ao Procópio, ocorrido aqui no Coque.

Outro dia, conversando com o velho Gustavo, disse que a crônica tinha sido uma das grandes descobertas da minha vida. Antes, eu transitava do jornalismo clássico, de reportagens mais densas, com fôlego, e trabalhava nos meus livros-reportagem. Na moita, escrevo sempre meus poemas, mas é coisa minha, mais o prazer de escrever mesmo.

Então veio a crônica, esta criatura que não tem formato certo, tamanho exato, onde o tema pode ser uma topada na calçada, um olhar esquecido numa parada de ônibus, restos e sobras do cotidiano, uma mãe que joga os umbigos dos filhos no Capibaribe, uma história de amor vivida por um amigo. Nem jornalismo, nem poesia. A vida em suas reentrâncias, falhas, dobras, fendas. A vida é tão imensa, cabe tanta coisa...

Hoje, eu queria reunir todos os meus leitores para uma grande farra. Na impossibilidade, mais tarde tomarei uma cerva com meu amigo Ailton, que trabalha comigo na Oficina da Palavra. Farei um brinde aos meus leitores.

Obrigado pela troca constante. Amanhã escrevo uma crônica pra valer. Hoje eu queria somente celebrar 300 encontros.

Samarone Lima

Ao Iramaraí, que me deu um esporro quando fiquei sem escrever e me mandou abrir um blog, e à minha professora de blog, Maksandra.

13 comentários:

Márcia disse...

Samarone, hoje, o meu primeiro brinde também será a seu blog, esse lugar em que muitas vezes eu encontro uma humanindade tão escassa, rara e necessária. No dia a dia, aqui no trabalho, acesso essa página, e saio um pouco da racionalidade dos números e dados que me cercam, percebo o mundo... imenso e tão próximo... Obrigada!

Perna disse...

E eu vou ta aqui na 600,na 900 e daí a frente..
Sama, consegui encomendar o Estuário. Uma grande amiga do Recife vai me mandar. So que ela se precipitou, foi lendo uma pagina outra..pronto: vou ter q esperar! Deve ser bom saber que tem algum nesse exato momento que tá lendo o seu livro né não?
Mas tem bronca não, mais uma semaninha e ele vai tá aqui na terra dos Manaós.
[]'s
Rodrigo Melo/ Manaus-AM

Capilé disse...

Parabéns ao blog e a você companheiro, vou tomar uma hoje para comemorar também, rsrsrsrs...

Anônimo disse...

Samarone, parabéns! Só temos a agradecer por esses momentos mágicos que suas crônicas nos oferece. Acessar seu blog é o momento em que contemplo a vida de forma muito leve, é de pura magia. Muita inspiração para escrever 500, 1000, 2000 ... Agradecida

Ana disse...

Era tua leitora no JC e lembro de ter pedido pra vc fazer um blog quando vc parou de escrever lá.
Também nem acredito que são 300 posts! Um melhor que o outro!

Anizio Carlos da Silva disse...

Que beleza, Samarone! merece uma cervejinha mesmo.

Dimas Lins disse...

Sama,

Parabéns pelas 300 crônicas. Acho o Estuário um espaço importante onde olhando o dia-a-dia de uma forma mais humana. Se o Santa ganhar hoje, a comemoração será completa.

Um abraço,

Dimas Lins
www.torcedorcoral.com

Anônimo disse...

Samarone, não acompanhei desde o início, mas, ao conhecer seu blog, fiquei fã e, graças a essa tecnologia maravilhosa, pude ler todos os textos. É interessante como nos fazemos íntimos sem nunca termos nos cruzado. E é suficiente só conhecê-lo através deste espaço. Preciso explicar q só é suficiente pq vc é um cronista excelente. Uma de suas crônicas me fez reviver uma emoção vivida ao ler A Última Crônica de Fernando Sabino. Eu tinha 13 anos e tive a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente 2 anos depois. No encontro, eu perguntei: "o sr. tem noção que fará parte de minha vida para sempre como uma das melhores lembranças de início de minha juventude?" E ele faz, Samarone, há 30 anos, desde o dia q aquela menina de 13 anos descobriu q a palavra escrita pode marcar uma vida mais do que qualquer outra coisa. Parabéns pelos 300 textos. Vc, tenho certeza,passa a fazer parte das melhores lembranças de muitos de seus leitores.
Um abraço, Fernanda Bérgamo.

Anônimo disse...

... e, afinal, já não somos mais teus leitores e sim teus irmãos, a repensar nossas alegrias e dores e indignações e amores e todos os sentimentos possíveis, juntos contigo através destas 300 crônicas... mas, mesmo que escrevas 5 mil, será sempre - e apenas - uma única e imensa crônica... será sempre a versão da visão apaixonada do teu coração pela vida e pelos seres humanos, servindo de farol, de guia, de bússola e impressa na janela virtual deste blog... será sempre um estuário servindo de fonte... encontro profundo de águas e corações....
E, só para que saíbas da importância das tuas palavras, tenho um amigo que mora na espanha, que há mais de um ano carrega no bolso (como um remédio, diz ele) a tua crônica “A paixão pela felicidade”, de 09 de maio de 2005, onde escrevestes:

“Felicidade não se escreve com letras maiúsculas. É uma palavra com um certo grau de timidez. É como afeto, outra palavra que adoro. Afeto se escreve com minúsculas. Aliás, se inscreve.”

Assim te inscreveste em nós,teus leitores-irmãos... com afeto.

Anônimo disse...

Sr. Samarone Lima, o sr. tem noção de que, por causa daquela monareta roxa, sem jamais ter que pagar aqueles 100 conto, o sr. fará parte da minha vida para sempre? Obrigadinha, Fernanda!
Adri

Costajr disse...

Caro Samarone

Vasculhando meus alfarrábios cibernéticos, deparei-me com dois textos, ambos escritos em 16 de deembro de 2006, que talvez ilustrem um pouco essa sua saga em incutir nasmentes juvenis,o prazer pela leitura e pela inculta e bela, a última flor do Lácio. Quando você tiver tempo, depois da comemoraçãod e hoje, acessa esse endereço.

http://zepaulojrbsb.blogspot.com/2006_12_16_archive.html

Os posts são: OS culpados e Você é um ET?

Um abraço;

pablo disse...

descobri a pouco esse blog, mas já viajava nos teus textos no blog do santinha. que venham mais 300!!!

Anônimo disse...

Samarone,obrigada por saciar nossa sede através de crônicas tão belas.....e,PARABÉNS!!!!!Graça.