quinta-feira, 23 de fevereiro de 2006

Notas pré-carnavalescas, anotações históricas e conversas nos coletivos

Serjão, meu amigo que nunca para quieto, me mostrou ontem o álbum de fotografias da Troça Carnavalesca "Me segura senão eu caio". O título é mesmo uma graça: a troça é formada somente de deficientes físicos. Aos trupicões, saem cantando e celebrando a vida, uma lição de vida e tanto.
***
Estou fazendo um trabalho extra, entrevistando um bocado de gente, o troço tem que ficar pronto logo depois do Carnaval. Acabo de receber um telefonema, avisando que uma das entrevistadas vai me receber no sábado de Carnaval, dia do Galo da Madrugada e outra, possivelmente na quarta-feira de cinzas. Estou aqui meio em desespero, tentando desmarcar tudo, vamos ver, ninguém merece isso.
***
Nossa Troça Carnavalesca Mista "Os Barba" costumava bater no peito e dizer: "fazemos a festa com uma orquestrazinha fornecida gratuitamente pela Prefeitura da Cidade do Recife!" Pois deu errado. Este ano, não liberaram um saxofone sequer para a agremiação. A sorte é que alugamos uma orquestra, temendo o pior. Viva "Os Barba".
***
Algumas troças maravilhosas que pesquei na programação do Carnaval de Olinda, e que pretendo acompanhar: (onde tem TCM é "Troça Carnavalesca Mista")

T.C.M. Anárquico Erótico Ereto Bicho de Pé.

T.C.M. Leve Minha Cunhada.

T.C.M. Mexendo Passa.

T.C.M. Anárquica Bebedoura Mole Não Entra.

T.C.M. Quase Que Não Sai.

T.C.M.Só Quero Um Pouquinho,
***
Fiz um pequeno levantamento de caráter sociológico (no site da Prefeitura de Olinda) sobre o Clube Carnavalesco Misto "Cachorro do Homem do Miúdo", fundado em 05.03.1910. A agremiaçao surgiu no antigo Beco das Barreiras, atual Rua José de Alencar, no Recife. Segundo o site, um grupo de amigos voltava de um enterro e viu um vendedor de miúdos caído no chão, embriagado, tendo ao lado vários cachorros, que não permitiam que ninguém se aproximasse do dono nem comiam os miúdos que tinham caído do tabuleiro. Tanto zelo, inspirou o grupo que acabou criando uma pequena agremiação homenageando os cães. Um miudeiro com o tabuleiro na cabeça e um cão ao lado (símbolo do clube) estão bordados no estandarte da agremiação. Informo que o presidente do Clube é o senhor Carlos Orlando, que mora na Ladeira do Giz, em Águas Cumpridas.
***
Ontem, parei defronte a uma escola e fui tomar um suco de maracujá. Daqui a pouco, vejo uma penca de meninos saindo de uma sala, por uma rampa. Traziam nas mãos uns adereços e cantavam: "Ei pessoal, ei moçada/ Carnaval começa, no Galo da Madrugada".
Impossível não sentir uma emoção.
***
Bem, meu pantim dos últimos dias está passando e me preparo para os festejos. Como estou liso, tento empréstimos de emergência com vários amigos. Há pouco, recebi o primeiro não, mas com elegância. Mais tarde tentarei Cesar Maia, Déa e Mimos. Ninguém merece um Carnaval liso.
***
Lembrei agora de um Carnaval em que eu estava trabalhando pelo Diário de Pernambuco, junto com a amigona Graça Prado. "É o bicho, vou te devorar, crocodilo eu sou", fazia o maior sucesso. Foi a primeira vez que vi o Carnaval em cima de trios elétricos. Foi bom, mas bom mesmo é no meio da massa.
**
Só para lembrar...
Saiu no "Diário na História" de hoje, uma nota sobre o sábado, 23 de fevereiro de 1856 (150 anos atrás):
Avisos diversos - Desapareceu no dia 10 corrente pela 8 da noite, um escravo de nação, por nome João, levou calça e camisa de algodão riscado, altura regular, seco de corpo, costuma embriagar-sé; roga-se as autoridades policiais e capitães de campo que o apreendam e levem a seu senhor, na rua Largo do Rosário, botquie 27, que será recompensando generosamente".
Precisa-se alugar uma ama de leite sem filho: na praça da independência, números 36 e 38/
***
Estou no Alto Santa Isabel, sexta-feira de Carnaval, 8h23 da manhã. O diálogo do motorista com a cobradora:
Ele: Bob Esponja está descansando hoje?
Ela: Ele ainda tem coragem de botar aquele chapéu cheio de gaia dele?
Ele: Pense!
Ela: Ele diz que é ex-corno. Eu disse que isso não existe: quando é corno, é para todo o sempre.
***
Mais na frente, o ônibus para num sinal. O mesmo motorista conversa com o colega do ônibus ao lado:
Motorista1: Óia, tu vai bater bumbo hoje?
Motorista 2: (inaudível)
Motorista 1: E apois.
Motorista 2: (inaudível)
Motorista 1: Pense! Pense numa água de crente que vou beber hoje!
O sinal abriu, e acabou a conversa.
***
"Deixa o frevo rolar/ eu só quero saber/se você vai brincar...

6 comentários:

tatiana disse...

Não consigo deixar de ser suas crônicas.SORTE NESSA NOVA EMPREITADA!!!!!!!! Sou apaixonada pelas tuas palavras... "menino de alma ""luz...cida""

Anônimo disse...

Bom carnaval e cuidado com os devaneios

Sonia disse...

Bom Caranval, Samarone, brinque bastante por mim, esta carnavalesca aposentada (muito contra a minha vontade. Quanto ao anúncio, lembro de um que vi num jornal do século XIX durante minhas pesquisas. Estava à venda uma escrava, moça prendada, que costurava e bordava muito bem, e falava francês. Fiquei pensando, devia ser um mocinha que recebera uma boa educação e agora se anunciava onde poderia ser vista e examinada pelos interessados na compra!

Anônimo disse...

Eu não vou brincar não BUUUUUAAAAAA!

Karyna disse...

Sama,

Que seu carnaval seja tão massa quanto este seu texto pré-carnavalesco.
Beijos e divirta-se!

Anônimo disse...

matame dios.