terça-feira, 4 de março de 2008

Para quem ainda lê a Veja

Durante longos oito meses, em 1999, trabalhei na redação da revista Veja. Vi de perto como funciona uma máquina poderosa, capaz de devastar reputações, arruinar vidas, caluniar, mudar informações, na prática do pior jornalismo.

Saí para fazer o mestrado, e desde esta época, nunca mais comprei um exemplar. Olho quando vou a um dentista, para saber como anda a linguagem, e sinto repulsa.

Um grande jornalista teve o peito de desvendar os bastidores dessa máquina, que se orgulha de vender um milhão de exemplares por semana.

Deixo minhas crônicas de lado até amanhã, e convido meus leitores para embarcar nesta série de reportagens do Luis Nassif, desvendando uma das grandes fraudes do jornalismo brasileiro.

http://luis.nassif.googlepages.com

6 comentários:

Daniel Buarque disse...

Sem querer defender a Veja, o Nassif aparece fazendo as mesmas denúncias na capa da Caros Amigos, revista tão manipuladora e ideológica quanto a da Abril, mas em lado opostos do espectro político. Se é para criticar a manipulação, e não a ideologia, entao o Nassif acaba perdendo um pouco a credibilidade. Se a crítica é por causa da ideologia, então não há o que discutir.

Mani disse...

Obrigada pela dica, um abraço...

Tiago Negreiros disse...

Parabéns por repercutir a reportagem do Nassif, Samarone. Quanto ao comentário de Daniel, gostaria de destacar que a reportagem do Nassif não é um texto opinativo e sim, tem grande credibilidade diante dos desmandos de Veja. Vale muito a pena ler.

Anônimo disse...

Saminha<

Mais poesia e mais amor... esse papo de revista tabacuda é muito chato. Basta dizer para seus leitores ler a revista Bravo.
Viva o bom senso, o bom gosto e a boa vida.
Eu

Beto Efrem disse...

Sama, parabéns pela indicação. Mesmo. Poesia e amor não excluem a política que, por sua vez, também se vale da poesia e do amor.

Daniel, há uma diferença ENORME entre ideologia e manipulação. A VEJA é ideológica. Beleza. A Caros Amigos é ideológica. Beleza também. "Ser ideológico" é compartilhar uma concepção de mundo. E, no fundo, todos(as) compartilham concepções, queiram ou não, dêem a ela um nome ou não.

Mas a VEJA, diferentemente da Caros Amigos e mesmo de outras revistas de direita, é flagrantemente manipuladora. Ela joga com os fatos de um modo muito além das margens das interpretações. A VEJA mente. E é isso que Nassif muito bem mostra em seus textos.

Não há qualquer problema em uma revista ser de direita ou de esquerda. A bronca é ser e usar da falsa ideologia da neutralidade. A VEJA faz isso. Nassif combate isso. É justo.

grande abraço!

Roberto

andrea disse...

Sama, ótima indicação. Já havia mandado a série do Nassif para todos os meus contatos. Isso é um serviço de utilidade pública! beijos de sua fã de primeira hora, leitora fiel e assídua. =)