sábado, 22 de abril de 2006

Amanheceres

O dia sempre começa. Pode ser bom, ruim, doce, pode trazer o mel ou fel, mas é uma lei cósmica: sempre amanhece. Diria que estamos num eterno amanhecer.

O dia começa com um telefonema, um despertador, um toque no corpo, de alguém que se ama muito, e que dormiu ao lado. O pequeno contato íntimo, que diz "estamos juntos". Ou simplesmente amanhece, sem nenhum gesto brusco, na solidão apaziguada, somente os olhos abrindo para a claridade do mundo.

O dia começa com uma lembrança, uma saudade, um desejo. O que aconteceu ontem, um sentimento que atravessou a noite, o desejo instalado, nos primeiros instantes, de que algo aconteça hoje, algo melhor que ontem, não tão bom quanto o amanhã, onde costumamos depositar nossa melhor esperança.

Há dias que nascem sonolentos, em que os olhos pesam, bocejos intermináveis. Há dias apressados. Há dias que nascem já sepultados pela pressa, quando queremos chegar ao dia seguinte. Há dias que nascem já cansados, diante de uma agenda repleta de obrigações. Há dias em que pedimos mais do que o corpo pode dar. Dias em que damos à alma menos do que ela merece.

O dia começa com aberturas. De olhos, de cortinas, janelas, portas, armários, guarda-roupas. Começa com a palavra “bom”, de bom-dia. O dia começa com a proximidade dos que nasceram juntos ou se encontraram, na sinfonia da vida. O pai, arrastando sua sandália, os barulhos do banheiro, a água despertando corpos, o chacoalhar das escovas em dentes amarelados pelo cigarro, e a promessa de parar de fumar se renovando no espelho.

O dia começa com um olhar amoroso da mãe, que desperta mansamente a filha para a escola. Felizes os que despertam com um beijo, seja da mãe, do pai, de quem se ama. Ser despertado com um beijo é ter o dia abençoado.

O dia começa com uma canção na rádio, uma melodia cantada por alguém ao longe, um assovio do porteiro. Começa com a imagem de um animal de estimação, um pássaro ocasional, que se aboleta nos fios. Antes de fazermos algo de concreto, antes de aumentarmos o PIB do Brasil, nós simplesmente amanhecemos, tiramos a noite de nossos ombros, e recomeçamos.

Despertamos com a esperança de chegarmos inteiros ao final do dia, de não sermos atingidos por nada que entre tão fundo, pedindo que as palavras duras não magoem tanto, que saibamos calar quando tivermos apenas pedras na língua.

Muitos despertam com suas orações, pedidos. Alguns despertam apenas agradecendo. O obrigado por mais um dia concedido. Muitos, hoje, terão somente este dia. Amanhã, serão apenas lembrança e saudade.

O dia amanhece com café, pão e esperanças. Para muitos, resta apenas a esperança, embrenhada na fome tão imensa, fome de comida, que gera todas as outras fomes. Para outros tantos, o dia amanhece com fome de afeto, que torna toda a fartura mínima, pálida, insuficiente.

Alguns, açoitados pelo mau-humor antigo, vão deixar as horas chegarem, para o apaziguamento. Gente que não dá bom-dia nem para si mesmo. Gente que detesta acordar.

O dia amanhece, sempre amanhece. No dia em que não mais amanhecemos, junto com o dia, é porque veio a noite da vida.

A morte, que é um anoitecer.

Sim, porque os seres, como os dias, anoitecem.

12 comentários:

Anônimo disse...

sama,
hoje vc amanheceu no tempo da delicadeza...
tá lindo.
aline

Anônimo disse...

Mas será possível que este menino parece superar-se sempre? Que beleza de texto. Vale diversas releituras. Vou dormir logo para ver se amnaheço melhor. Abração do mano PH

Samarone Lima disse...

Aguardo o meu prometido "livro do desassossego".
Mano, deixe de ser safado e me dê notícias.
Boa-noite. Durma bem e acorde melhor ainda.

O livro do Desassossego disse...

Chegara segunda com pompas e circunstâncias, enquanto isto estou lendo maravilhas tais:
"Cada palavra falada nos trai. A única comunicação tolerável é a palavra escrita, porque não é uma pedra em uma ponte entre almas, mas um raio de uma luz entre astros."
Lindo o teu texto: "O dia amanhece com café, pão e esperanças" e os raios de luz das tuas belas crônicas...

Anônimo disse...

Belo, bElo, beLo, belO!
De todas as formas!

Anônimo disse...

Que seu dia seja sempre lindo e abençoado!

Andreia Santos disse...

Sama querido!
esse texto dispensa comentários.
Bravo!
bj

Anônimo disse...

Ah...Que bom seria comecar todos os dias com uma cronica tao linda(tocante mesmo)como essa.
Mais uma vez, obrigada, Samarone, por tanta delicadeza!
abracos,
Claudia

betita disse...

belíssimo. chêro

Sonia disse...

Pela hora, o dia já é outro, então posso dizer que bom também é começar o dia lendo uma crônica deliciosa.

keila aquino disse...

Samarone ... que seus amanheceres sejam sempre iluminados e preenchidos com carinho, paz e muita, mas muita alegria mesmo!
Abraços!

Anônimo disse...

Samarone, Bela crônica... Estou lendo meio atrasada, mas quero dizer que foi muito especial.

Grande abraço, Priscila