domingo, 28 de maio de 2006

Máximas, mínimas e outros textos

Enquanto não coloco a crônica nova, segue uma pequena coletânea da Suffit Kitah Akenat, em "Máximas, mínimas e outros textos". Vai um agradinho extra, com trechos do adorável uruguaio Mário Benedetti.

"Podes viver só
mas não sobreviverás
sem ter outro eu".
(Suffit Kitah Akenat)


"O golpe que fere
demora a cicatrizar
se pensarmos nele".
(Ibdem)

"O rosto ilumina
todas as partes do corpo
que não conhecemos".
(Ibdem)

"O cágado é ágil
se virmos a felicidade
como grão a grão".

"Quando já viveste
nada é tão profundo e belo
como sobreviver".
(Ibdem)

Benedettianas...

"Me gustaria
mirar todos de lejos
pero contigo".
(In "Rincón de haikus")

"Sereno en mi confianza
confiado en que una tarde
te acerques y te mires
te mires al mirarme".
(Ibdem)

"Faço paisagens com o que sinto".
(Fernando Pessoa, no "Livro do Desassossego")

2 comentários:

Aninha disse...

"Tenho um livrinho onde escrevo
Quando me esqueço de ti.
É um livro de capa negra
Onde inda nada escrevi."

"Teus olhos tristes, parados
Coisa nenhuma a fitar...
Ah meu amor, meu amor,
Se eu fora nenhum lugar!"

"Se ontem à tua porta
Mais triste o vento passou -
Olha: levava um suspiro...
Bem sabes quem to mandou..."
(Fernando Pessoa - Poemas de amor)
ai, ai....

Anônimo disse...

Super color scheme, I like it! Keep up the good work. Thanks for sharing this wonderful site with us.
»