sexta-feira, 30 de março de 2007

Estou escapando por um fio

Amigos leitores, pela leitura dos jornais de Pernambuco, cada dia descubro que estou vivo por um fio, um acidente, um descuido ou excesso de atuação do meu anjo da guarda.

Na terça-feira, lendo o Diário de Pernambuco, descobri que foram assaltados 1.822 ônibus, na Região Metropolitana do Recife (dados da EMTU). Eu, que sou um passageiro contumaz, fiquei de cabelos em pé, o que chega a ser uma redundância. Então escapei mesmo fedendo, porque não estava em nenhum desses coletivos.

A coisa começou a ficar complicada mesmo quando olhei a lista das dez linhas mais assaltadas. A lendária "Centro do Cabo", que utilizo umas três vezes por semana, abocanhou o segundo lugar (a EMTU não revelou quantas vezes os passageiros foram vítimas de assaltos). Novamente, eu não estava. A minha bucólica linha de ônibus, que percorre estafantes 35 quilômetros, só perdeu em assaltos para a linha "Zumbi do Pacheco/Barro".

Fui olhar o restante das linhas, e quase choro. A linha "Cabo/Cohab" pegou o quinto lugar, e a linha "Cabo/Aeroporto", que utilizo quando chego de viagem, ficou em nono lugar. Rapaz, estou metido numa baita fria!

Como sou muito curioso, fui ver as dez vias com maior frequência de assalto. Em primeiro lugar, a BR-101 Sul, que é o caminho para ir ao Cabo, onde estou morando. Já acendi minhas velas e fiz as primeiras orações, pedindo proteção extra.

A matéria diz que vão gastar um dinheirão com câmeras nos veículos. Hoje, 383 ônibus já têm câmeras. Até o final do ano, vão instalar outras 617 e mais 300 rastreadores. Até o final do ano, querem botar câmeras na frota toda, 2.700 veículos. Ou seja, aquela lenga-lenga de sempre, esse negócio de botar equipamentos, para tapar o sol com a peneira, de termos certamente uma das mais violentas e piores polícias do Brasil.

De formas que se você, caro leitor, estiver em seu possante carro na BR 101-Sul, e passar pelo ônibus Centro do Cabo, saiba que pode estar passando por um camarada em apuros, tentando esconder seus trocados para os ladrões não levarem tudo.

Mas pelo menos estou sendo filmado, uma coisa inútil, mas eu adoro coisas inúteis, o Manoel de Barros aproveita coisas inúteis para a poesia.

"Ao nascer eu não estava acordado, de forma que
não vi a hora.
Isso faz tempo.
Foi na beira de um rio.
Depois eu já morri 14 vezes.
Só falta a última".
(Manuel de Barros)

8 comentários:

Titina disse...

Samarone você é incrível. Rapaz vc é demais.
sou sua fã.
Beijo grande e venha pra Natal.

Anônimo disse...

adorei.

"Animal Sagrado" disse...

Caro Sama,

Vê se fica mais um pouco aí no Cabo e corre menos riscos. Te dou uma dica: tu conhece a vila da Destilaria do Cabo? Dá umas voltar por aí. Tem umas morenas bonitas. Quando eu era garotão, cheguei a paquerar uma morenaça daí. O lugar é bucólico e bem agradável. Só que passei um tempo enrolando a moça e depois sumi. Quando voltei uns dois anos depois, ela já estava casada. Ah, dor de corno. É isso aí.

Zé Neves disse...

Sama,

Em tempo, perdi meu celular e por tabela o teu telefone e o de inácio. O meu é 9973 3549.

Zé Neves (que não é o ex-presidente do Santa Cruz)

Talita disse...

e o que acontece quando o ônibus é assaltado?

corre?
deita no chão?
se joga da janela?
esconde os pertences?

tbm nunca passei por isso, também não espero que aconteça.
viver em recife é uma aventura de todo dia.
que pena!

Talita

Gabriela Leite disse...

Oh Sama,
E eu que estou em pânico por conta dessa onda de assaltos também em Salvador.
Na rua onde moro, no Rio vermelho,um bairro que sempre foi considerado tranquilo e que não tem nada de luxo,só neste ano,já aconteceram oito sequestros relâmpagos,tu imagina?
Quando você menos espera, vem um assaltante "relâmpago" e tum! Leva você com carro e tudo pra assaltar outros bairros, depois de depenar sua conta, é óbvio.
Ainda bem que não tive esse desprazer e rezo todos os dias, quando entro ou saio da garagem, pra que isso não aconteça, já que comecei a dirigir a pouco tempo e uma motorista barbeira e sem dinheiro, nenhum assaltante vai achar proveitoso né?...
E os ônibus aqui, também são assaltados em grande escala...
Ou seja,realmente com toda essa bagunça em nosso país, em que políticos só querem saber de maquiagens estruturais, aumento dos próprios salários e soluções imediatistas, a gente tem mesmo é que contar com a proteção divina para sobreviver no dia-a-dia e se safar da violência gratuita tão perto das nossas vidas.
Vou incluir você também em minhas orações.
Axé

Anônimo disse...

Sama, espero que vc possa fazer parte de estatísticas mais favoráves ao bem viver. Cuide-se! Um abraço carinhoso do mano PH

Anônimo disse...

Sem querer desconsiderar o fato de que Recife é uma das cidades mais violentas do país, não posso deixar de observar a frase com que você iniciou sua crônica: "pela leitura dos jornais de Pernambuco..." Parece que a mídia, de uma forma geral, resolveu priorizar a violência como linha editorial, se comprazendo em levar pânico à população. É uma pena constatar que sangue vende jornal e mobiliza mais as pessoas do que uma boa reportagem educativa ou cultural.